• Andre Perim

FILE 2022


SUPERCREATIVITY

Creativity overcomes obstacles and builds new realities. In each moment, as said in Philosophy, art lies confined in the cloister of its time. From time to time, however, creativity produces gaps that enable art to break through into new realms. And it’s almost a norm to say that creativity is an exclusive property of art. Creativity is not limited to the arts. It also takes place in all disciplines of Culture. Thus, in the aesthetic sense, it ceases to be creativity and becomes Supercreativity: the sum of all creative engines that permeate and connect to our culture. In economics, we see it emerge in Joseph Schumpeter’s “destructive creativity” and Clayton Christensen’s “disruptive theory”. In mathematics, we see it in the creation of Alan Turing’s universal machine, in John von Neumann’s autonomous cells and in Claude Shannon’s logic electronic circuits. They created, along with many other creative geniuses, the intelligent machines that originated Artificial Intelligence. Supercreativity, however, is not a property of Artificial Intelligence, but its very inventor. Supercreativity, teaming with Artificial Intelligence or not, is and will be the main condition to the world’s development in all its nuances.

Ricardo Barreto and Paula Perissinotto organizers e founders of FILE

SUPERCREATIVIDADE

A criatividade supera obstáculos e constrói novas realidades. A cada momento, como diz a Filosofia, a arte está confinada no claustro de seu tempo. De tempos em tempos, no entanto, a criatividade produz lacunas que permitem que a arte invada novos domínios. E é quase uma norma dizer que a criatividade é uma propriedade exclusiva da arte.
A criatividade não se limita às artes. Também ocorre em todas as disciplinas da Cultura. Assim, no sentido estético, deixa de ser criatividade e passa a ser Supercriatividade: a soma de todos os motores criativos que permeiam e se conectam à nossa cultura.
Na economia, vemos emergir na “criatividade destrutiva” de Joseph Schumpeter e na “teoria disruptiva” de Clayton Christensen. Na matemática, vemos isso na criação da máquina universal de Alan Turing, nas células autônomas de John von Neumann e nos circuitos eletrônicos lógicos de Claude Shannon.
Eles criaram, junto com muitos outros gênios criativos, as máquinas inteligentes que originaram a Inteligência Artificial. A supercriatividade, no entanto, não é uma propriedade da Inteligência Artificial, mas seu próprio inventor. A supercriatividade, aliada ou não à Inteligência Artificial, é e será a principal condição para o desenvolvimento do mundo em todas as suas nuances.

Ricardo Barreto e Paula Perissinotto
organizadores e fundadores do FILE

https://file.org.br/videoarte_2022/andre-perim/


https://www.youtube.com/watch?v=6oEn1tXvmLQ&t=9s



16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo